Governança de TI: Obtenha crescimentos reais e saudáveis com essa estratégia!

ProMoveMelhorias de ProcessoGovernança de TI: Obtenha crescimentos reais e saudáveis com essa estratégia!

A Promove participou há pouco tempo de um evento sobre governança em empresas familiares, promovido pelo IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa).

O evento contou com importantes players do mercado do Rio de Janeiro, que demonstraram sua experiência de crescimento nos últimos anos, apontando o investimento em governança como fator chave para esse sucesso.

Tratavam-se de empresas tidas “familiares”, que enxergaram na implantação de uma governança corporativa, uma forma de crescer organizadamente.

Todos foram enfáticos em dizer que, sem a devida governança, a empresa não conseguiria expandir suas operações para novas regiões, ou aumentar seu lucro através da atuação em novos negócios.

Sem a devida organização, não haveria fôlego que permitisse a empresa trabalhar estrategicamente nestas frentes.

Nesse contexto, é importante entender que a TI, que hoje é vista como uma das mais importantes áreas de apoio ao negócio (segundo Porter), passará a ocupar papel ainda mais central nos negócios baseados em internet que crescem em número a cada ano.

Corroborando com este fato, os gastos globais com TI devem crescer 2,9% em 2017 em relação a 2016, totalizando US$ 3,4 trilhões, após uma pequena retração prevista para este ano, segundo estimativa feita pelo Gartner Group.

Segundo este instituto de pesquisa, a área de software e serviços de TI são o principal responsável pela expansão dos investimentos.

Mas o que é governança?

Afinal, o que é governança? Num olhar mais genérico e amplo, Governança deriva do termo governo, e pode ter várias interpretações, dependendo do enfoque que se dá.

Para você entender melhor, trouxe algumas definições de Governança. Veja:

Segundo o Banco Mundial, “governança é a maneira pela qual o poder é exercido na administração dos recursos sociais e econômicos de um país visando o desenvolvimento, e a capacidade dos governos de planejar, formular e programar políticas e cumprir funções”.

Outro enfoque, que é o mais comum dado ao termo deste artigo, é o título “Governança Corporativa”.

O Instituto Brasileiro de Governança Corporativa diz que “Governança corporativa é o sistema pelo qual as empresas e demais organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os relacionamentos entre sócios, conselho de administração, diretoria, órgãos de fiscalização e controle e demais partes interessadas.

As boas práticas de governança corporativa convertem princípios básicos em recomendações objetivas, alinhando interesses com a finalidade de preservar e otimizar o valor econômico de longo prazo da organização, facilitando seu acesso a recursos e contribuindo para a qualidade da gestão da organização, sua longevidade e o bem comum.”

Falando de forma prática, a governança requer que tratemos todas as áreas de apoio ao negócio com a implantação de processos, controles e indicadores que permitam a empresa entender e controlar o seu negócio.

A busca por um melhor desempenho da organização e de seus processos não são só para manter competitiva e aumentar o lucro da empresa, mas para sobreviver a um mercado cada vez mais exigente por melhor qualidade e menores preços.

Atualmente, a tecnologia da informação é uma protagonista na cadeia de valor das empresas, que buscam vantagens competitivas em relação aos concorrentes.

E é aí que entra um outro termo relacionado à governança, que vem sendo amplamente debatido nos últimos tempos: a Governança de TI.  

E é ai que entra a chamada Governança de TI.  

Governança de TI

A Governança de TI é uma estratégia que lida com o desenvolvimento de um conjunto estruturado de competências e habilidades para profissionais de TI.

Estes são responsáveis pelo planejamento, implantação, controle e monitoramento de programas e projetos de governança.

O método se integra à Governança Corporativa e é formada pela liderança, estruturas organizacionais e processos que garantem que a TI sustenta e melhora a estratégia e objetivos corporativos.

Se não temos Governança de TI, o alcance da governança corporativa pode ser tornar inviável, devido ao fato de que grandes partes das informações das empresas estão contidas nos seus sistemas de informação.

Os tomadores de decisão necessitam que as informações nestes sistemas sejam confiáveis e estejam disponíveis no momento adequado.  

Blog Banner ProMove Online CoachingPowered by Rock Convert

Sendo assim, a tecnologia da informação passou a lidar com grandes desafios.

Foi preciso manter os níveis de disponibilidade, capacidade e continuidade, gerenciar os custos de TI, lidar com a complexidade do negócio, garantir conformidade regulatória, manter a segurança da informação adequada, e por último, alinhar TI com o negócio.

FRAMEWORK COBIT

Para endereçar essa necessidade de Governança em TI, alguns frameworks (conjuntos consolidados de boas práticas) tornaram-se bastante conhecidos.

Um deles é o COBIT (Control Objectives for Information and Related Tecnology), mantido pela ISACA que evoluiu para a versão 5.0 nos dias atuais.

Este framework define um conjunto de habilitadores da governança e do gerenciamento que inclui 37 processos.  

O COBIT prega que, para uma boa governança, é preciso respeitar sete critérios de informação:

  • Efetividade: As informações devem ser relevantes e devem ser entregues no tempo ideal, com corretude e consistência e podendo ser utilizada da melhor forma.

 

  • Eficiência: As informações devem ser entregues com menor custo financeiro e maior produtividade e rapidez.

 

  • Confidencialidade: As informações da empresa devem ser protegidas evitando-se vazamentos e perda de dados. 

Grande parte das informações contidas nos sistemas da organização são confidenciais e podem representar a inteligência e diferencial do negócio perante o mercado.

Portanto, só deve ser vista por quem tenha permissão.

  • Integridade: A informação não pode ser corrompida, alterada, deve ser real, íntegra.

 

  • Disponibilidade: as informações relevantes devem estar disponíveis sempre que forem necessárias aos tomadores de decisões.

 

  • Conformidade: As informações devem ser mantidas em concordância com as leis, normas, regulamentos e obrigações organizacionais relacionadas ao negócio e atividades da empresa.

 

  •  Confiabilidade: Representa o nível de confiança e adequação das informações para interpretação e análise no auxílio em tomadas de decisão e definição de estratégias do negócio. Devemos manter as informações íntegras, autênticas e com relevância para o negócio.

É importante destacar que o COBIT é um framework genérico que identifica práticas de governança.  

O COBIT é independente das plataformas adotadas pelas organizações e é igualmente independente do tipo de negócio e do valor e participação que a tecnologia da informação tem na cadeia de valor da organização.

Podemos descrevê-lo como um framework “guarda-chuva”, definindo princípios para a Governança de TI.

Para conhecer um pouco mais sobre como operacionalizar alguns desses princípios de governança propostos pelo COBIT, recomenda-se o uso de frameworks mais específicos.

OUTROS FRAMEWORKS

Dentre os frameworks mais elaborados, estão os seguintes:

A ITIL V3 ou a ISO/IEC 20.000 que definem práticas para sistema de gerenciamento de serviços

CMMI-Dev v1.3 ou o MPS.Br, que definem boas práticas voltadas para o desenvolvimento e manutenção de software e

A ISO/IEC 27.000 que trata dos requisitos para um Sistema de Gestão de Segurança da Informação (SGSI).

Ao implantar uma Governança de TI eficiente e alinhada aos objetivos estratégicos da organização, há uma tendência de maior produtividade em todas as áreas de negócio, através da otimização dos recursos disponíveis.

Sendo assim, o fôlego da organização para pensar e implementar ações estratégicas que podem determinar o futuro desta será maior e, além disso,  menos recursos serão utilizados para “correr atrás do prejuízo”.

A ideia é que a implementação da Governança de TI faça com que a empresa opere de forma mais natural, onde todas as áreas do negócio atuem em sincronismo.

Ficou interessado nesta estratégia? Entre em contato conosco e conheça os serviços da ProMove e como podemos auxiliar o seu negócio da melhor forma possível!

Sobre o Autor

Sócio-Fundador da ProMove - Business Innovation, empresa que presta consultoria em melhoria de processos de software em organizações de todo o Brasil. Trabalho com TI desde 2003, quando fiz parte do grupo de qualidade da COPPE-UFRJ. Já fui desenvolvedor .Net, C# e atualmente ajudo empresas que desejam melhorar sua cultura de engenharia de software para obter maior produtividade e qualidade em suas entregas de software ou de serviços de TI. Também sou especialista em modelos de maturidade e qualidade como CMMI, MPS.Br, ISO, CERTICs e entusiasta de métodos ágeis e de produção enxuta como Lean e Kanban.