Kanban Maturity Model: entenda o que é e como funciona

ProMoveAgilidadeKanban Maturity Model: entenda o que é e como funciona
Kanban Maturity Model

Para os amantes do Kanban, a Lean Kanban Incorporated está lançando o Kanban Maturity Model (KMM).  Trata-se de um roadmap que organizações podem utilizar para implementar incrementalmente as práticas de Kanban e a filosofia Lean (produção enxuta) dentro de seus processos produtivos.

Para entender melhor como o KMM funciona e é aplicado no mundo corporativo, explicamos seus principais detalhes neste post, junto a seus objetivos, níveis de maturidade e benefícios. Acompanhe!

O que é o Kanban Maturity Model?

O KMM é um modelo de maturidade em Kanban para organizações que desejam implementar as boas práticas e o sistema de produção preconizado por essa metodologia. Ele foi criado com base na condensação de diversas experiências obtidas com sua implantação em várias organizações, desde pequenas até grandes corporações.

Kanban Maturity Model foi elaborado pela equipe técnica da Lean Kanban University, liderada por David J. Anderson e Teodora Bozheva. Consiste em princípios e prática que têm por objetivo otimizar as rotinas do negócio e torná-las melhores e mais fluidas por meio de etapas de evolução.

O resultado é a eliminação de gargalos, com a consequente previsão mais acertada dos resultados a serem alcançados. Esses benefícios se transformam em vantagem e diferenciais competitivos.

Como funciona esse modelo?

O KMM é estruturado em 7 níveis de maturidade, que vão de 0 a 6. A base dessas gradações é o Capability Maturity Model Integration (CMMI), que foi utilizado devido a questões de manutenção de consistência e facilidade de adoção por parte das empresas.

No entanto, foram adotadas algumas diferenças de nome e o acréscimo de outros com o intuito de facilitar a adesão e representar melhor a necessidade e a realidade das organizações. O nível 0 caracteriza os negócios que, no geral, estão no início de seus trabalhos.

Esses negócios não têm maturidade e/ou cultura de processos, contudo, percebem a dependência da organização processual para a sobrevivência corporativa. Nesse cenário, o Kanban provê algumas restrições de trabalho sem modificar a essência das etapas táticas já existentes. A proposta é o aperfeiçoamento da qualidade.

Por sua vez, o nível 6 introduz questionamentos que auxiliam a organização de maneira estratégica, a fim de identificar seus propósitos como empresa em um contexto amplo e global. Ao chegar a esse patamar, há mais adaptabilidade por meio de feedbacks, além de mais capacidade de antecipar oportunidades e riscos, bem como mutabilidade evolutiva.

Quais são os objetivos do Kanban Maturity Model?

O KMM tem o propósito de favorecer a busca das empresas pela excelência dos produtos e serviços entregues aos clientes. Desse modo, há o aumento da satisfação do usuário e o encorajamento de um comportamento de adaptabilidade e longo prazo de vida — ainda que o negócio passe por transformações constantes.

Além disso, o Kanban Maturity Model apoia o desenvolvimento de algumas habilidades organizacionais, entre elas:

  • diminuição da sobrecarga de trabalho;
  • entrega das expectativas do consumidor;
  • agilidade organizacional;
  • previsibilidade dos resultados econômicos e financeiros;
  • aumento da capacidade de sobrevivência.

Quais são os níveis de maturidade do Kanban Maturity Model?

Existem 7 níveis de maturidade no KMM. Cada um deles tem suas características e é voltado para determinado status da organização. Entenda melhor a seguir.

Nível 0: abstrato

Considera a responsabilidade dos indivíduos pela determinação de suas tarefas de trabalho. Frequentemente, a pessoa que executa a atividade também consome o resultado, ou seja, são afazeres autogerados, em vez de ordens de serviço solicitadas pelo cliente. O foco é o manuseio da gestão de atividades pessoais.

Nível 1: emergente

Há um reconhecimento dos benefícios da gestão adequada, como a agregação de valor, bem como da estrutura organizacional e da transparência na execução das atividades — já que esse trabalho oferece consistência.

Conforme a maturidade aumenta, algumas definições iniciais de processos, workflow, políticas e frameworks de decisão podem emergir, ainda que não sejam seguidos de maneira constante.

Trilha Online Cocaching Gestão Ágil com ScrumPowered by Rock Convert

Nível 2: definido

Existe uma definição de básica de processosworkflows, políticas e frameworks de decisão seguida com frequência. Essas determinações estabelecem a forma como a organização executa seu trabalho. No entanto, ainda há falta de consistência em relação aos resultados desejados e os gaps de qualidade nas entregas são perceptíveis — mesmo que em menor quantidade se comparados aos do nível 1.

Nível 3: gerenciado

Há uma definição acordada e entendida de processosworkflows, políticas e frameworks de decisão. Eles são seguidos de maneira consistente e os resultados esperados são alcançados de forma sólida, de acordo com as expectativas e as tolerâncias do cliente.

Nível 4: gerenciado quantitativamente

É feita a adaptação de design, implementação e prestação de serviços para se tornarem “aptos para o propósito”. A consistência do uso dos processos e dos resultados alcançados alivia o estresse de forma significativa.

A organização direciona seu foco para resultados econômicos, até para se precaver contra imprevistos e circunstâncias excepcionais. Análises quantitativas de indicadores são extremamente importantes para fornecer essa previsibilidade.

Nível 5: em otimização

Considera-se que toda a empresa está “apta ao propósito”, porque essa visão é válida sob a perspectiva de todos os interessados. Nessa etapa, o foco é:

  • otimizar a eficiência;
  • melhorar os resultados econômicos;
  • aumentar a produtividade sem sacrificar a qualidade;
  • elevar as margens;
  • elaborar orçamentos premium para classes de serviço ou qualidade dessa categoria;
  • minimizar custos;
  • otimizar o valor do trabalho por meio de uma capacidade superior de priorização e triagem.

Nível 6: congruente

Existe quando é possível afirmar que o negócio foi realmente “construído para durar”, isto é, quando a organização é sólida e tem um crescimento sustentável.

Há vários recursos de aprendizado iterativos nesse nível. Diversos questionamentos podem ser feitos pela própria empresa.

  • A maneira como as atividades são feitas é competitiva? Novas tecnologias, processos, métodos ou meios estão se tornando disponíveis para serem investigados ou adotados?
  • Oferecemos os produtos e os serviços certos? Se não, como devemos mudar?
  • Estamos servindo os mercados certos? Temos capacidade de atender aos mercados escolhidos de forma adequada?
  • Quem somos como empresa? Nossa identidade atual é relevante e apropriada ou precisamos nos reinventar?

Essas perguntas caracterizam preocupações estratégicas. Suas respostas são parte fundamental do planejamento estratégico de uma organização duradoura.

Como identificar o nível de maturidade em Kanban na organização de acordo com o Kanban Maturity Model ?

Para fazer essa análise, é preciso observar o comportamento das pessoas e ter um controle específico dos processos com base nas boas práticas do Kanban. É necessário então realizar um Gap Analysis em relação as práticas esperadas de cada nível com as realizações organizacionais e a partir daí definir um plano de ação para implementar esses “gaps” e atingir o nível de maturidade desejado.

O que fazer após identificar esse nível?

Após a identificação desse nível, há um modelo de avaliação do KMM passível de ser utilizado para o benchmarking da situação da empresa, conforme o esperado nos níveis dessa metodologia.

Quais benefícios isso gera para o negócio?

Entre os principais benefícios na adoção do KMM está a construção de um conceito de propósito (fit-for-purpose) na empresa, que guiará as ações dos profissionais rumo a um objetivo comum e alinhado à missão da organização. Ao mesmo tempo, é criado um processo apto a esse intuito organizacional.

Com o workflow adaptado, todas as ações são revertidas para o alcance dos resultados esperados. Além disso, as empresas constroem uma estrutura com vistas à durabilidade. Isso significa que elas sobrevivem e crescem de maneira orgânica à medida que sua capacidade e organização processual evoluem.

Com essas informações, fica claro que o Kanban Maturity Model é um dos métodos que levam à eficiência nos processos de trabalho. Por meio dele é possível focar nos resultados para aumentar a produtividade e a qualidade, ao mesmo tempo que se satisfaz as vontades dos clientes e se agrega valor ao negócio.

Se você quer aplicar o KMM na sua empresa e deseja alcançar os propósitos especificados neste post, é importante contratar uma consultoria que contribua com a implementação por meio de especificações. Entre em contato com a ProMove Business Innovation e veja como o seu negócio pode alcançar o sucesso!

 

Sobre o Autor

Sócio-Fundador da ProMove - Business Innovation, empresa que presta consultoria em melhoria de processos de software em organizações de todo o Brasil. Trabalho com TI desde 2003, quando fiz parte do grupo de qualidade da COPPE-UFRJ. Já fui desenvolvedor .Net, C# e atualmente ajudo empresas que desejam melhorar sua cultura de engenharia de software para obter maior produtividade e qualidade em suas entregas de software ou de serviços de TI. Também sou especialista em modelos de maturidade e qualidade como CMMI, MPS.Br, ISO, CERTICs e entusiasta de métodos ágeis e de produção enxuta como Lean e Kanban.
Optimized with PageSpeed Ninja