Home Office! Como trabalhar em casa sem perder produtividade

ProMoveMelhorias de ProcessoHome Office! Como trabalhar em casa sem perder produtividade
Home Office

Embora o home Office seja uma modalidade de trabalho já bastante difundida, a pandemia mundial de Coronavírus colocou o tema no centro das discussões.

Muitas empresas mundo afora possuem funcionários trabalhando em regimes mistos ou de home Office full time. Além disso, autônomos e profissionais freelancer vivem toda sua rotina profissional trabalhando em casa.

A pandemia de Coronavírus e a necessidade de promover o isolamento social, de modo a controlar a curva do crescimento de casos de Covid-19, fizeram com que uma legião de profissionais transferisse suas atividades profissionais para o regime de home Office.

Então, este artigo é destinado, principalmente, aos marinheiros de primeira viagem, que, muito possivelmente, estão encontrando dificuldades para manter a produtividade, o que é perfeitamente natural e contornável, como você poderá perceber lendo as dicas a seguir.

Crie uma rotina

O que condiciona nossas ações ao longo do dia é o senso de obrigação. A rotina proporciona certo conforto ao nosso cérebro, pois somos capazes de nos programarmos para seguir uma sequência de ações ao longo do dia.
A mudança do escritório para o home Office pode e vai desestruturar toda essa programação. Afinal de contas, algumas ações serão suprimidas, como escolher a roupa para ir trabalhar e se vestir, pegar o meio de transporte e parar para o almoço sempre no mesmo horário.
A dica é você tirar proveito dessas mudanças, a começar pela percepção de que a supressão dessas ações proporcionará um ganho de tempo. De qualquer forma, caso você não reprograme sua rotina, além de não aproveitar o tempo extra, sua vida vai se transformar numa enorme confusão.

A solução é muito simples. Monte uma programação diária, com horários e atividades. Reserve o tempo necessário para trabalhar e crie um horário que se incorpore à sua rotina.

xemplo: trabalhar das 9h às 13h / almoçar das 13h às 14h / trabalhar das 14h às 18h / preparar o almoço do dia seguinte das 19h às 20h.
Você ainda pode, dentro dos horários programados, estabelecer quais tarefas serão executadas.

Crie metas diárias de produção

Essa é outra dica importantíssima. Aliás, as metas estão acima dos horários. Ao estabelecer metas diárias de produção, os horários servirão apenas como organizadores. Se você estabeleceu como horário de trabalho até às 18h, mas cumpriu sua meta até às 16h, você tem duas opções:

  • adiantar tarefas do dia seguinte;
  • aproveitar duas horas livres que você conquistou.

A segunda opção não costuma estar disponível quando você trabalha em escritório, não é verdade?

Evite distrações

As distrações estão presentes mesmo na rotina de quem trabalha em escritório. Estamos, efetivamente, falando da internet, mais particularmente, do WhatsApp e outras redes sociais.

Ao trabalhar em casa, longe da formalidade do escritório e dos olhos dos gestores e colegas de trabalho, você pode se deixar levar pela tentação de dar uma espiada nas últimas postagens.

Não faça isso, porque você estará dizendo ao seu cérebro que não é preciso ter disciplina e concentração durante seu horário de trabalho. Com isso, você ficará cada vez mais propenso às interrupções e distrações, prejudicando sua produtividade.

Uma boa dica é você gerar ciclos de trabalho. Em vez de um intervalo para o almoço, faça dois ou três. Você pode criar quatro ciclos de duas horas e fazer três intervalos com um total de duas horas.

Além de produzir melhor, você ainda vai ter um tempo para olhar as mensagens do WhatsApp e até responder. Aproveite e tire alguns minutos para se alongar. Nesse caso, isso ajudará você a relaxar e voltar para o trabalho mais disposto.

Durante os seus ciclos de trabalho, no entanto, desligue o celular e nem ouse ligar a televisão.

Organize seu espaço

Quando você chega ao escritório, sabe que encontrará lá o seu posto de trabalho e todas as ferramentas que precisa para produzir.

Faça isso também em sua casa. Monte um escritório, nem que seja numa fração do seu quarto de dormir, e mantenha todas as suas ferramentas de trabalho à mão.

Se possível, separe completamente seu ambiente de trabalho do resto da casa.

Eduque as pessoas com quem você vive

Não adianta esperar o problema aparecer para então tentar resolver. Caso não sejam devidamente educadas, as pessoas não vão se convencer de que o fato de estar em casa não significa que você está disponível, principalmente as crianças.

Chame quem de direito para uma conversa e deixe claro que não quer ser incomodado enquanto estiver trabalhando. Aproveite e compre um abafador de ruído, principalmente se tiver crianças em casa, porque o barulho vai tirar sua atenção e reduzir sua produtividade.

Aliás, quanto às crianças, você pode dizer que se elas se comportarem você poderá terminar o trabalho mais cedo e ficar com elas mais tempo.

Saiba a hora de parar

É muito comum que, pelo fato de estar em casa, com tudo à mão, as pessoas acabem prolongando as horas de trabalho.

Caso isso ocorra, você até poderá achar que está ganhando em produtividade, mas, na verdade, por não respeitar os limites do seu corpo, está preparando uma bomba relógio, porque sua capacidade mental ficará reduzida e sua saúde comprometida.

Sabe por que nós fixamos aqueles horários lá no começo? É exatamente para você saber a hora de parar e se desligar completamente do trabalho.

Pense em tudo isso como uma oportunidade

Você, que migrou para o home Office por causa da pandemia, tente enxergar isso como uma oportunidade.

O home Office é uma modalidade de trabalho que pode melhorar muito nossa qualidade de vida. Quem não quer ter mais tempo livre, evitar o estresse do trânsito e até o mau humor de alguns colegas?

Ora, se você apresentar maior produtividade trabalhando em casa, qual empresa não vai preferir manter as coisas assim ao final do isolamento social?

Pense nisso e bom trabalho!

About the author

Consultor em Melhoria de Processos na ProMove. Doutor em Engenharia de Sistemas e Computação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2010), Mestre em Engenharia de Sistemas e Computação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2003) e graduado em Ciência da Computação pela Universidade Federal da Bahia (2000). Possui experiência em melhoria de processos, gerência de projetos e coordenação de equipes de consultoria. É consultor na implantação de processos aderentes aos modelos de qualidade CMMI e MPS. Atuou na concepção/desenvolvimento de um framework na linguagem .Net. É certificado ITIL v3 Foundation. É instrutor credenciado dos cursos de capacitação do modelo MPS. É implementador credenciado do modelo MPS para Software e MPS para Serviços. É avaliador líder experiente do modelo MPS para Software e Serviços. É avaliador líder do modelo CERTICS.